Pular para cabeçalhoPular para conteúdo principalPular para rodapé

Como se tornar um BPO financeiro?

Por Henrique Netzka

Agora que você já entendeu o que é um BPO financeiro, resolvemos trazer alguns insights sobre “como” você pode tornar esta a sua principal fonte de renda – seja você um contador, um escritório contabilidade ou mesmo alguém buscando um novo caminho para empreender! Recapitulando Só para reforçar a ideia: imagine o papel do BPO… Continue a ler »Como se tornar um BPO financeiro?

mulher-segurando-arquivos

Agora que você já entendeu o que é um BPO financeiro, resolvemos trazer alguns insights sobre “como” você pode tornar esta a sua principal fonte de renda – seja você um contador, um escritório contabilidade ou mesmo alguém buscando um novo caminho para empreender!

Recapitulando

Só para reforçar a ideia: imagine o papel do BPO exatamente como o papel do assistente administrativo da empresa. O escopo envolve pagar contas, emitir notas e boletos e fechar os números do mês – entregando, por exemplo, um fluxo de caixa e um DRE formatado. Imaginou?

Bem, este é o trabalho que você executará a partir de agora. Este é um trabalho que pode parecer simples, porém é trabalhoso e tem um valor agregado muito alto – especialmente para as micro e pequenas empresas, que não têm orçamento para contratar um colaborador para ficar focado nisso.

Em resumo: o BPO financeiro terceiriza o trabalho do assistente administrativo tal como a contabilidade terceiriza o serviço contábil – ou você já viu alguma empresa pequena com um contador interno? 🤔

Buscar emprego x oferecer o seu serviço

Na prática, o que notamos é uma mudança de pensamento. Se você for um administrador (formado ou em formação), ou um assistente administrativo, você “muda o foco” da sua abordagem: agora, ao invés de procurar um emprego, você vai abrir um CNPJ e oferecer os seus serviços. Veja como é vantagem para todos:

  • Um assistente administrativo custa para a empresa, no mínimo, um salário + benefícios (algo em torno de R$3000/mês), e mais um sistema para gerenciar o administrativo e financeiro.
    • Você ganha algo como R$1500 + benefícios para executar o trabalho
  • Você pode oferecer o mesmo serviço para 10 empresas pequenas por R$600/mês; este, muitas vezes, é o valor somente do sistema que ela contrataria.
    • Você ganhará algo como R$4500, descontados os impostos, e passa a ser dono do seu próprio negócio!

Legal, e por onde começar?

Bem, para começar, desenhe o que você quer oferecer e qual seu público-alvo. Se você precisar de algum material para isso, criei um podcast super legal sobre empreendedorismo que você pode ouvir no Spotify (ou na sua plataforma de áudio preferida)!

5 dicas para você ser um ótimo BPO

Para te ajudar, queremos trazer alguns insights que notamos por aqui!

  1. Lembre-se de fechar bem o seu escopo. O que notamos é que BPOs de sucesso têm se focado em cobrir operações bancárias, emissão de faturas de serviços (recorrentes), gestão de cobranças (inclusive inadimplentes) e fechar os resultados para entregar aos clientes. Procure não entrar na operação, uma vez que seu cliente, possivelmente, saberá realizá-la muito melhor do que você.
  2. Entenda seu público-alvo! As empresas maiores geram “mais trabalho” e pagarão um valor mais alto. As empresas menores geram “menos trabalho” e podem pagar menos. Vale a pena pensar se você oferecerá um serviço “premium” (menos empresas, maior valor) ou um serviço para as empresas menores (mais empresas, menor valor).
  3. Supere o “desafio bancário“. O ideal é que a empresa abra uma “conta corrente” para a operação, e você tenha acesso a ela. Os bancos digitais têm sido muito parceiros nisso, uma vez que a abertura é simples e a conta é gratuita. Os bancos tradicionais oferecem muitas barreiras, além do trânsito da informação ser via CNAB – o que deixa a operação muito mais “sensível” e sujeita a pequenas falhas.
  4. Se você não for o contador da empresa, fortaleça o vínculo com ele e procure entender se você pode facilitar o trabalho dele. Isso melhorará seu relacionamento dentro da empresa!
  5. Procure um sistema que esteja focado na operação, e não nos resultados (dashboards e etc.). Afinal, o seu “gargalo” será a quantidade de horas que você vai trabalhar para cada cliente por mês.
    • No Nimbly, por exemplo, integramos o sistema à conta bancária; isso faz com que você lance os pagamentos em apenas uma plataforma e obtenha tanto o fluxo de caixa/DRE quanto efetive o pagamento no banco.

Saiba mais em nossa página de BPO clicando aqui.

0 comentários

Deixe um comentário

Campos obrigatórios são marcados com *

Outros posts sobre "BPO Financeiro"